EEFFTO - UFMG  


Alto Contraste

PT ENG ESP





Estrutura Curricular

1 2 3

Systematic Reviews and Meta-analyses

Créditos: 4

Ementa: In this unit of study, the focus is to provide an overview about the role of systematic reviews in the context of Evidence-Based Practice. More specifically, we aim to guide the students in the process of how to appraise, interpret and apply the results of systematic reviews and help them perform search strategies in electronic databases and conduct meta-analyses

Bibliografia:

1. Herbert R, Jamtvedt G, Hagen KB, Mead J. Practical Evidence-based Physiotherapy. 2 ed. Churchill Livingstone, 2011.

2. Higgins JPT, Green S (editors). Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions Version 5.1.0 [updated March 2011]. The Cochrane Collaboration, 2011. Available from www.cochrane-handbook.org

3. Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman DG, The PRISMA Group (2009). Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses: The PRISMA Statement. PLoS Med 6(6): e1000097.

4. Furlan et al. 2015 Updated Method Guideline for Systematic Reviews in the Cochrane Back and Neck Group. Spine, 2015 Nov;40(21):1660-73

5. Mancini et al. Tutorial for writing systematic reviews for the Brazilian Journal of Physical Therapy (BJPT). Braz J Phys Ther, 2014; 18(6): 471-480.

6. Recent systematic reviews of health interventions published in top physical therapy and medicine journals

Tópicos especiais IV- Atualidades em Sono e Sociedade: modelos de intervenções (Parte 1 e II)

Créditos: 08

Ementa: A presente disciplina visa ampliar o conhecimento acadêmico na área do sono, distúrbios do sono e modelos de intervenções para minimizar queixas e distúrbios do sono, bem como, para melhorar a qualidade e eficiência do sono. Visa repassar e provocar discussões e conhecimento quanto ao modelo de intervenções farmacológicas e não farmacológicas para intervenções que minimizem ou melhorem os distúrbios do sono.

Tópicos: Argumentação Científica e Didática de Ensino

Crédito: 4

Ementa: Esta disciplina aborda três conteúdos principais: filosofia da ciência, lógica, e apresentação de argumentos científicos. O curso busca fornecer bases conceituais para a crítica do conhecimento, particularmente o conhecimento científico, seus métodos e processos. São abordados conceitos-chave em lógica informal para permitir a identificação da estrutura e propósitos de argumentos, assim como de falácias argumentativas. As atividades da disciplina pretendem desenvolver habilidades de apresentação oral (didática de palestras e aulas) e de escrita de argumentos científicos. Tais atividades visam aprofundar o domínio do estudante a respeito do seu projeto de pesquisa e da sua contribuição na produção de conhecimento científico

Bibliografia:

 

Chalmers, Alan Francis, and Raul Fiker. O que é ciência afinal?. São Paulo: Brasiliense, 1993.

Chin Yee, Benjamin H. "Underdetermination in evidence?based medicine." Journal of evaluation in clinical practice 20.6 (2014): 921-927.

Copi, Irving M. Introdução à lógica. Mestre Jou (1981)

Erduran, Sibel, Shirley Simon, and Jonathan Osborne. TAPping into argumentation: Developments in the application of Toulmin's argument pattern for studying science discourse. Science education 88.6 (2004): 915-933.

Figueiredo, Luiz Carlos. A redação pelo parágrafo. Ed. UnB, 1995.

Law, Stephen. Is creationism scientific? In: Law, Stephen. The Philosophy Gym: 25 short adventures in thinking. Macmillan (2003).

Law, Stephen. Why expect the sun to rise tomorrow? In: Law, Stephen. The Philosophy Gym: 25 short adventures in thinking. Macmillan, (2003).

Miles, Andrew. On a Medicine of the Whole Person: away from scientistic reductionism and towards the embrace of the complex in clinical practice. Journal of evaluation in clinical practice 15.6 (2009): 941-949.

Schick, Theodore, and Lewis Vaughn. How to think about weird things: Critical thinking for a new age. (2007).

Simmons, Joseph P., Leif D. Nelson, and Uri Simonsohn. False-positive psychology undisclosed flexibility in data collection and analysis allows presenting anything as significant. Psychological science (2011): 22(11) 1359–1366.

Sinnott-Armstrong, Walter, and Robert J. Fogelin. Cengage Advantage Books: Understanding Arguments: An Introduction to Informal Logic. Cengage Learning, 2014.

Squarisi, Dad, and Arlete Salvador. Escrever melhor: guia para passar os textos a limpo. Editora Contexto, 2012.

Sword, Helen. The writer's diet. Auckland University Press, 2015.

Trein, Eunice, and José Rodrigues. O canto de sereia do produtivismo científico: o mal-estar na Academia e o fetichismo do conhecimento-mercadoria. Universidade e Sociedade (2011): 133-148.

Volpato, Gilson Luiz. O método lógico para redação científica. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação & Inovação em Saúde 9.1 (2015).

Tópicos: Redação Científica

Créditos: 2

Ementa: Introdução a redação científica, tópico frasal e parágrafo.  Princípios da redação científica, cortando palavras em excesso, uso de verbos fortes e pontuação. Observando o tom da linguagem e como iniciar a escrita de um texto.  O artigo científico e suas características.

Bibliografia:

William Zinsser. On Writing Well. The classic guide to write non-fiction. E-book, 2016.Thomas Ogden & Israel Goldberg. Research proposal. A guide to Success. 3rd ed. Elsevier, San Diego, 2002.

Andy Field & Graham Hole. How to design and report experiments. Sage, California, 2003.

Luiz Carlos Figueiredo. A redação pelo parágrafo.  Editora UNB.

Maurício Gomes Pereira. Artigos Científicos. Como redigir, publicar e avaliar. Guanabara Koogan, 2012.

Ítalo de Souza Aquino. Como escrever artigos científicos. Saraiva, 8 ed., 2010.

William Strunk. Rules of Usage. http://www.bartleby.com/141/strunk.html#5